space-624054_640

Descoberto um outro sistema planetário

Um grupo de astrônomos descobriu um sistema planetário que terá algumas semelhanças com aquele no qual se encontra o planeta Terra.

Dois planetas com características semelhantes às de Júpiter e Saturno, em órbita de uma estrela com metade do tamanho do Sol, foram encontrados. “É espécie de uma versão mais pequena do nosso sistema solar”, afirma um pesquisador da universidade de St. Andrews, onde se fez a descoberta.

Martin Dominik, da universidade de St. Andrews, no Reino Unido, afirmou que a existência de eventuais sistemas solares, com semelhanças com o nosso, poderá ser muito mais comum do que se pensava e acrescentou que os astrônomos estão na iminência de encontrar muito mais.

O astrônomo de St. Andrews afirmou que este sistema planetário e outros análogos poderiam ter mundos habitáveis como o planeta Terra. “Foi apenas uma questão de tempo até que detectássemos estes sistemas”, explicou.

Dominik declarou à BBC News que encontraram “um sistema com dois planetas que têm os papéis de Júpiter e Saturno no nosso Sistema Solar. Estes dois planetas têm valores de massa, um raio orbital e um período de órbita similares”. “Parece ter sido formado de modo semelhante ao nosso Sistema Solar”, adiantou. E se esse for o caso “parece que o nosso sistema solar pode não ser o único do gênero no Universo. Deverá haver outros sistemas semelhantes que possam ter planetas habitáveis como a Terra”.

Martin Dominik apresentou o seu trabalho numa reunião da Royal Astronomical National Astronomy Meeting, em Belfast.

O novo sistema planetário, que orbita a estrela OGLE-2006-BLG-109L, é menor do que o nosso e está a uma distância de cinco mil anos-luz.

Embora quase 300 planetas extra-solares tenham sido já identificados, os astrônomos têm falhado constantemente nas tentativas para encontrar sistemas planetários semelhantes ao nosso sistema solar. Apenas 10% dos sistemas descobertos até agora podem ser habitados, afirmou Martin Dominik. O astrônomo explicou ainda que todas as técnicas e métodos atualmente utilizados para encontrar planetas foram fortemente dominados por critérios usados para detectar planetas gigantes que orbitam a curtas distâncias da estrela mãe.

Os planetas detectados pelo sistema OGLE ( optical gravitational lensing experiment) foram encontrados usando-se uma técnica na qual a luz dos planetas mais distantes é refratada e amplificada pela gravidade de um novo objeto, neste caso específico, uma outra estrela.

O objetivo final dos pesquisadores da universidade era encontrar um espaço habitável como a Terra e um planeta como Marte. “Este objetivo foi alcançado, porque a tecnologiafoi melhorando com o tempo”, afirma Martin Dominik.

O mesmo pesquisador da universidade de St. Andrews acrescentou ainda que, com esta técnica, poderão brevemente procurar corpos de massa inferior à da Terra e assim detectar mais eventuais planetas maciços com zonas habitáveis. “Assim, nos próximos anos, vamos ver algo realmente emocionante “, disse.

Para já, contudo, haverá poucas probabilidades de detectar mundos de massa como a Terra em OGLE-2006-BLG-109L, porque o sistema está muito distante para as atuais tecnologias, mas num futuro próximo acreditamos que seja confirmada a resposta à pergunta 55 de “O Livro dos Espíritos”: «Deus povoou de seres vivos os mundos, concorrendo todos esses seres para o objetivo final da Providência. Acreditar que só os haja no planeta que habitamos fora duvidar da sabedoria de Deus, que não fez coisa alguma inútil.

Texto Extraído da Revista RIE – Ano LXXXIII – Nº 05 – Junho de 2008

NOTA: O Profº Luis de Almeida é licenciado em engenharia aeronáutica, mestre, doutor e Pós-doutor em astrofísica e cosmologia multidimensional. Actualmente é um dos cientistas e pesquisadores que integra a Agencia Espacial Europeia. Espírita desde bem jovem e ex-ateu convicto e orgulhoso como se definia, teve contato com o espiritismo com a oferta aos 15 anos de “O Livro dos Espíritos”. Interessou-se pela racionalidade, lógica e inteligência do tipo de perguntas colocadas por Kardec bem como das respostas dadas pelos espíritos. Desde então nunca mais parou… É ainda jornalista, conferencista e articulista espírita escrevendo para os midia espíritas há mais de 20 anos. Aqui fica a visão de como um pesquisador europeu de profissão vê o espiritismo.

E-mail: luis.dalmeida@clix.pt

Categorias

Posts Relacionados

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *