SAEM AS EXPIAÇÕES. FICAM AS PROVAÇÕES

No conceito espírita, expiação tem a ver com erros cometidos, infrações realizadas ante a Grande Lei e atingindo, em geral, outras almas. Provação é teste, averiguação do que se aprendeu ou aquisição de experiências. Quando a Terra viveu seu ápice expiatório, corpos teratológicos, mutilados, retorcidos, atrofiados ou vitimados por enfermidades que a medicina de então não conseguia debelar, eram costumeiros e os encontrávamos aos montes pelo mundo. Almas renascidas em organismos limitados, em sofrimentos atrozes, muitas vezes indescritíveis. Ao lado dessas condições, ainda vivenciavam testes. A expiação em si mesmo é uma provação, no entanto, a provação pode não ser expiação. Lentamente, saem as expiações, predominando, antão, as chamadas provações, até alcançarmos a condição de regeneração.

 

A medicina foi avançando obedecendo os planos do Alto para que nosso mundo evoluísse a fim de deixar de ser, um dia, mundo de expiação e provas, afinal, tudo evolui no universo, “do átomo ao arcanjo, que por sua vez, já foi átomo”. Pois bem. À medida que os espíritos que aqui renasciam iam se depurando, embora em geral muito lentamente, no contexto maios amplo o planeta ia preparando melhores condições para o desenvolvimento da natureza moral e física dos seus habitantes. Maior cota de conforto foi sendo posta ao alcance dos habitantes da Terra. Observemos que, tal qual a medicina, que foi tornando suas intervenções menos invasiva, as lutas humanas foram ganhando conotações mais sutis. Surgem as depressões e as síndromes, substituindo na arena terrena as dilacerações dos corpos, as deformidades físicas. As próprias intervenções estéticas proporcionando correções nos organismos sinaliza essa etapa transformadora. Observemos como diminuiu sensivelmente a existência de seres vivendo em corpos destroçados. E doenças já foram erradicadas.

 

Breve não mais teremos espíritos necessitados de qualquer quadro expiatório. Claro que isso não se dará da noite para o dia. Pelo que expus acima, a coisa já está se processando desde algumas décadas atrás. Estamos vivendo, como o sabemos, uma faixa de transição. Para muitos, estes detalhes passam desapercebidos. A ciência debela as doenças físicas; as idéias mais elevadas debelarão as enfermidades psíquicas. O amor saneará as almas. Na Terra regenerada, o aprendizado será referente as conquistas das virtudes e os testes serão estímulos e oportunidades da vivência. Poderão ainda cair os que viverem no planeta melhorado ? sim, poderão. Serão almas ainda imperfeitas, com um longuíssimo caminho a percorrer até as condições seguras das dimensões da sabedoria, da condição de um mundo feliz. A grande vantagem é que as condições para a evolução se -rão mais amenas, sem os mecanismos das tentações muito próprios dos mundos expiatórios, mais materializados. A fraternidade será elemento predominante e as leis de solidariedade resplandecerão entre os seus habitantes. Se progride mais rapidamente no tocante ao exercício do bem e dos valores espirituais face a atmosfera mais branda e convidativa aos acertos.

 

Em relação ao que é nosso planeta agora, o mundo regenerado pode ser considerado um paraíso. As dores como as conhecemos praticamente inexistirão. O cuidado com a bela natureza, a honestidade de propósitos  e o desaparecimento de inúmeros fatores de perturbação social, como a violência e a desconfiança entre os seres, estimulado ainda pelo desaparecimento paulatino e mais acentuado do egoísmo, facilitarão o progresso das almas que tiverem a felicidade de continuarem seu jornada nesse mundo. Parece um sonho, não é? Será verdade, creiam. Que esse conhecimento possa encher nosso coração de sagradas esperanças e estímulos abençoados, alem da determinação de fazer o melhor na edificação do reino por dentro da própria alma.
Categorias

Posts Relacionados

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *