O RESPIRO DA TERRA OU, O CAMINHO DO MEIO

Que a harmonia na relação com a natureza é  consequencia da maior maturidade da alma, disso não se tem dúvida. O espiritismo nos mostra que, nos mundos de natureza superior, há uma interação tomada de amor e respeito entre todos os componentes da natureza. Os espíritos vivem, nestas instâncias elevadas, em completa relação de vibrações compensadas com seu ambiente. A generosidade e a compaixão com todas as formas de vida, seu sentimento do sagrado para com a natureza que o cerca, tudo, enfim,reflete esse estágio mais avançado de ser e estar em interação…
Assistimos, dos anos setenta para os dias de hoje, uma movimentação da civilização humana na direção de inverter a indiferença contumaz que sempre tivemos para com o planeta que nos recebe compassivamente. Esse movimento cresceu, apoiado por artistas, religiosos, políticos, cidadãos comuns. Surgiram, ante o olhar investigativo do movimento ecológico, sob apoio de estudos científicos defendidos por centenas de pesquisadores, alertas no tocante ao mal que o ser humano estaria fazendo à Terra. Na verdade, desde James Lovelook, o criador da hipótese Gaia, não se via um volume tão grande de notícias favoráveis à defesa da natureza em todos os meios de comunicação, como assistimos nos tempos atuais. Como é natural, alem das colocações corretas e justas, apareceram os exageros, causando calafrios e assustando pessoas. Comum encontrarmos pessoas atormentadas com as “possíveis catástrofes planetárias oriundas do aquecimento global”. O temor de uma grande inundação ou um calor escaldante que estaria prestes a fritar qualquer neurônio.
Como coloquei no título desta postagem, importante a busca do caminho do meio. Sem equilíbrio, fica difícil lucidez para compreendermos melhor os fatos. E não nos deixarmos levar pelo catastrofismo ou pela agressividade enlouquecida ou, ainda, pela angústia de esperar o apocalipse ecológico logo ali na esquina. Sem dúvida que os alertas iniciais foram importantes para que venhamos a respeitar a natureza, seja por gratidão a tudo que ela nos oferta, seja pelo compromisso moral com a sublime Lei de \Amor que deve reger nossas vidas. O problema está em termos serenidade e saúde emocional pára contribuir com a harmonia da natureza sem caírmos em desarmonia pessoal.
Comecemos por compreender que o planeta tem seu respiro próprio e suas leis de auto regulação. Isso está implícito no comando divino. Esse respiro a que me refiro é o que provoca, ciclicamente, aquecimento e resfriamento, em períodos de milhares de anos. Desde que a Terra se estabilizou após sua criação, esse ciclo se processa. Inclusive, segundo muitos cientistas vem abordando na imprensa mundial, ao contrário do que se esperava, o planeta parece estar iniciando um novo ciclo de resfriamento que, como outros ciclos, durará alguns milhares de anos. Isso, porem, ainda carece de estudos mais aprofundados mas as primeiras evidencias seguem nessa direção. Muitos países tiveram invernos rigorosos como há muito não haviam vividos. Em pleno mês de maio, a Inglaterra tiritava com nevascas, assustando à todos pois abril já estaria bem mais aquecido no Reino Unido.
Segundo item desse respiro planetário encontra-se na produção do CO2, atual vilão no que tange ao aquecimento global. Na verdade, a ação do homem não é o principal produtor desse gás do chamado efeito estufa, embora, obviamente, colabore com ele. As próprias florestas são as maiores geradoras do CO2. Este gás é fundamental para o processo da fotossíntese. E sem a fotossíntese, a vida pereceria no planeta nos moldes como a conhecemos pois ela faz a conversão fundamental para o oxigênio. A própria natureza, portanto, é a maior produtora de CO2.
Segundo muitos especialistas, o aumento cíclico da temperatura do planeta se deve, em maior grau, a um fator que não é levado em consideração para os que militam na atividade ecológica e radicalizam a questão: a atividade solar. Periodicamente, o sol aumenta sua atividade, produzindo tempestades solares, irradiações mais vigorosas que atingem o planeta, alterando sua temperatura, aquecendo-a. Este parece ser um elemento mais poderoso no aumento da temperatura do que a própria ação do ser humano.
Terceiro aspecto a levar em consideração são os gases produzidos pelos animais ao longo de todas as épocas do planeta até os dias de hoje. Este tambem deve ser levado em consideração para se entender o poder auto regulador da Terra e seu respiro, movendo-se em equilíbrio para com as soberanas leis.
Agora, posto isto, não quer dizer que a maneira que temos tratado o planeta tem sido correto e está tudo bem. Claro que não é isso o que quero dizer. Sou amplamednte defensor da natureza e do convívio harmonioso para com o mundo que nos recebe para o processo evolutivo. Não poderia ser diferente. Seria uma grande incoerencia se assim não fosse. Agredir rios e nascentes, mares e derrubar aleatoriamente florestas, é pura insanidade. O egoísmop e a ganãncia representam atraso espiritual. O espiritismo nos mostra isso muito bem. Escrevo com essa abordagem pensando em contribuir com alguns aspectos que, às vezes, no calor das discussões esquecemos, contribuindo para a criação de temores ou radicalizações contraproducentes.
O caminho do meio é importante para conquistarmos mentes e corações. Conquistar vidas no tocante à compreensão de que poluímos o meio ambiente muito mais com as vibrações de nossos acessos de cólera do que imaginamos. Agredimos a natureza muito mais com nosso desamor, com a energia do ódio e da mágoa do que acreditamos. Bilhões de corações vibrando na indiferença do egoísmo  implica numa força tão avassaladora quanto os testes de bombas atômicas levada à efeito pela insanidade das nações e seus líderes equivocados. Pensemos melhor nisso e creio que poderemos qualificar mais aida o belo e justo movimento em defesa da natureza. E encerro lembrando que, nada mais incoerente para quem lida com a defesa da natureza, do que aqueles que assim o fazem mas defendem o aborto, a morte assistida e coisas que tais. Quem ama a natureza, ama a vida e defende o direito de todos os elementos que a compõem, de viver. Pensemos nisso.
Obs: amigos, se eu estiver equivocado ou esqueci de algo, por favor, escrevam e podem me alertar. Agradeço pois, com certeza, me auxiliará, e muito, a melhorar, aprendendo mais.
Categorias

Posts Relacionados

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *