QUANDO O DIA AMANHECE CINZA

Diria o poeta ante as nuvens de um dia que nasce acinzentado que a alma dele está entristecida. Há, realmente, dias que parecem ter o poder de nos levar à melancolia, às lembranças que não sabemos precisar ou para as recordações que nos feriram em algum momento. Resolvi escrever esta pequena crônica porque acredito que esta sensação ocorre com quase todos nós. Somos compostos por lembranças boas que nos marcaram de tal maneira feliz que podemos sentir saudades daqueles momentos inesquecíveis. E outras histórias que abriram dolorosamente sulcos de amargura em nosso caminho.
Mas quando o dia amanhecer cinza não devemos ficar nele. Recordar que há sol resplandecendo além das nuvens é semelhante a entender que toda tempestade passa e novos dias e momentos virão, transformando, de alguma maneira, nossas vidas. Ficar preso às más recordações é fixar a alma no que desanima e paralisa a capacidade de reação, tão importante para que sigamos adiante. A lágrima não deve cair perenemente, embora seja importante, muitas vezes, que ela venha a transbordar da alma.

 

Deter-se no inverno é não entender que a própria natureza, em seus ciclos sábios, nos indica que necessitamos de etapas no longo aprendizado. Assim como ela, teremos invernos, que aperfeiçoam a alma pelas lágrimas; outono, que indica reflexão; verão, a acender o calor da vida, e primavera, amplificando a noção de recomeço para o espírito, quando as flores reaparecem, mensagem de esperança de Deus para as estradas de cada um de nós.

 

Quanto mais a alma ascende, mais amplo poder de síntese desenvolve em si mesmo, até que chegamos a uma dimensão onde tudo se une num perene sol cintilante, com permanente perfume das flores das conquistas. Dos outonos e invernos ficarão as experiências, as vivências, a fim de que venhamos a amparar os que ainda caminharem na área dos ciclos de aprendizagem por onde já teremos passado.

 

Portanto, quando o dia amanhecer cinza e nossa vida parecer um fracasso ou um inverno constante, não desanimemos, pois não há inverno permanente e nem nuvem que obstacule, para sempre, a luz do sol.
Categorias

Posts Relacionados

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *