Transtorno de Deficit de Sentido da Vida

A característica comum desse transtorno é a perda do interesse pela vida e a redução dos horizontes pessoais. A dificuldade em vencer desafios e a estagnação são observados como fatores preponderantes para a instalação do transtorno. A busca pela religião como forma de resolver os problemas parece constante, mas ineficaz em face da intensidade da crise. Os sintomas são observáveis a partir de sessenta dias, muito embora possa ser, em certos casos, em tempo menor. Por outro lado, esse tempo pode se dilatar, levando anos para que se tenha uma precisão maior no diagnóstico. Estressores típicos: fracassos amorosos, financeiros e intelectuais; perda de entes queridos; traumas graves; casar; separar-se dos pais; assumir grande responsabilidade; doenças crônicas; educação infantil deficitária; traumas etc.. Sintomas típicos: perda do interesse em viver; constatação de que a vida se resume a meras repetições de obrigações e afazeres; redução no desempenho cognitivo; comprometimento no desempenho profissional; redução nos horizontes da vida; angústia persistente; medo de viver; medo de ficar só (sem parceiro); saudade de algo desconhecido; perda do senso de pertencimento; nostalgia recorrente; baixa estima; vontade constante de morrer. Tratamento: psicoterapia baseada na consciência de que se é um Espírito imortal.

Categorias

Posts Relacionados

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *